Como os pais podem incentivar a criatividade infantil? Entenda aqui!

A criatividade infantil é sem limites: as crianças são inventoras, engenhosas, imaginativas e originais. Porém, esse potencial criativo pode se perder um pouco ao longo dos anos se não for estimulado. Além disso, buscar o desenvolvimento da criatividade é ótimo para a educação socioemocional e para a formação integral do seu pequeno.

Não é à toa que a criatividade é considerada uma das habilidades mais importantes do século 21. Afinal, vivemos em um contexto de transformações intensas e velozes, motivadas, sobretudo, pelos avanços tecnológicos e digitais. Desse modo, a capacidade de se adaptar e de criar soluções inovadoras para problemas faz toda a diferença.

Para ajudarmos nessa tarefa, preparamos este texto. Confira algumas dicas valiosas para incentivar a criatividade do seu filho!

Incentive o “faz de conta”

A boa notícia é que não é difícil estimular a imaginação e o potencial criativo dos pequenos: a primeira dica é nada mais do que deixá-los brincar. As brincadeiras são protagonistas nos processos de aprendizagem e de desenvolvimento de habilidades na infância, e não é diferente no que se refere à criatividade.

Isso é potencializado em brincadeiras do tipo “faz de conta”, isto é, em que as crianças precisam colocar a imaginação para funcionar. Assim, evite que o seu filho lide apenas com jogos e brinquedos com instruções fixas. Quanto menos “pronta” for a brincadeira, maiores serão as possibilidades criativas para o seu pequeno. 

Enriqueça o repertório cultural

Engana-se quem pensa que ser criativo é ter ideias totalmente inéditas. Na verdade, essa habilidade tem muito mais a ver com a reorganização e com a combinação de referências, que levam a uma solução nova, mas sempre baseada em experiências anteriores. Assim, quanto maior for o repertório cultural, melhor para a criatividade infantil.

O melhor é que as crianças são naturalmente interessadas em uma grande diversidade de coisas. Por isso, esse é o momento certo para proporcionar uma variedade de experiências culturais: teatro, músicas diversas, visitas a museus, experiências científicas adequadas para a idade, contato com diferentes culturas etc.

Permita o ócio na rotina

Pais preocupados com o desenvolvimento de seus filhos podem cair na tentação de lotá-los de afazeres. Uma agenda repleta de atividades extracurriculares é muito bem-vinda e certamente contribui muito para a formação dos pequenos. Porém, também é necessário reservar um tempo para o ócio, isto é, duas ou três horas do dia sem tarefas programadas.

Afinal, como já dissemos a respeito das telas, as crianças precisam de um tempo livre de estímulos para que possam assimilar os seus conhecimentos e, então, exercer o potencial criativo. É mais ou menos o que acontece conosco quando temos ideias incríveis embaixo do chuveiro: às vezes, é preciso ter uma pausa para que possamos elaborar novas concepções.

Diminua o tempo em frente às telas

No mesmo sentido da dica anterior, é interessante reduzir o tempo junto às telas. Isso porque vídeos e jogos eletrônicos, por mais lúdicos que possam ser, dão à criança somente tarefas muito estruturadas, com metas, passo a passo e materiais que levam a uma posição passiva por parte dela.

Há muitos benefícios na tecnologia na educação, já que ela proporciona excelentes estímulos para o desenvolvimento infantil. No entanto, o pequeno precisa de um tempo longe desses estímulos para que o seu cérebro “descanse”, pare de focar a armazenagem de novos conhecimentos e, então, reconfigure as informações que já têm para chegar a novas e criativas brincadeiras.

Permita erros e tentativas

A criança aprende muito por tentativa e erro. É por meio da experiência que ela chega a importantes conclusões, responsáveis pela construção de seu entendimento sobre o mundo e sobre ela mesma. Por isso, valorize a liberdade de falha dos pequenos e evite uma rigidez excessiva com o que é “certo” e “errado”. 

Por exemplo, se o seu filho estiver pintando um desenho e decidir que o mar deve ser amarelo, em vez de azul, evite dizer que “não é assim”. Uma criticidade muito grande por parte dos pais pode até mesmo levar a criança a ter problemas de autoconfiança e de autoestima.

Nós, como adultos, já temos o nosso potencial criativo um pouco mais podado por padrões e tradições. Por isso, podemos ter dificuldade para sermos receptivos quando a criança tenta o diferente. A liberdade de falha e os limites mais fluidos representam um exercício benéfico para os dois lados. 

Invista no hábito da leitura

Os livros são grandes aliados do pensamento crítico e da criatividade infantil. Histórias ficcionais são um convite poderoso à imaginação, podendo até mesmo transportar o leitor para outros mundos, épocas, lugares e modos de viver. Por isso, investir no hábito da leitura desde cedo é uma excelente pedida. 

Sem contar que os livros também são ótimos recursos para o desenvolvimento da empatia. Isso porque, ao ler ou ao ouvir sobre personagens que vivem situações tão diferentes daquelas do dia a dia da criança, ela começará a se tornar mais consciente de que existem muitas experiências de vida para além das suas próprias.

Além disso, a narração sobre as emoções e os sentimentos dos personagens frente àquelas situações desperta a sensação de identificação. Assim, o pequeno exercita desde cedo a capacidade de entender como outras pessoas se sentem e de validar aqueles sentimentos.

Conte com uma boa escola

Por fim, o desenvolvimento da criatividade infantil não cabe somente à família, mas também à escola. A parceria entre pais e educadores na formação das crianças é garantia de sucesso. Por isso, não deixe de contar com uma instituição que favoreça o desenvolvimento do seu filho em todos os aspectos, como o Colégio Franco-Brasileiro!

As nossas metodologias de ensino e as perspectivas pedagógicas são guiadas por pilares de cidadania, espírito crítico e solidariedade. Assim, os nossos alunos têm tudo de que precisam para alcançar um excelente rendimento nos estudos ao mesmo tempo em que desenvolvem competências e habilidades necessárias para uma sociedade mais justa.

Como você viu, não há muito segredo na hora de estimular a criatividade infantil. Trata-se apenas de haver um equilíbrio entre oferecer estímulos variados e proporcionar a liberdade de que a criança precisa para brincar. É com referências heterogêneas, curiosidade e ímpeto imaginativo que os pequenos podem desenvolver plenamente a sua criatividade.

Agora, aproveite e entre em contato conosco para conhecer mais de perto os diferenciais do Colégio Franco-Brasileiro!

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.